sexta-feira, 25 de abril de 2014

Re Abril


A Democracia morreu. A Liberdade está em vias de extinção. É urgente reinventar Abril... Seja em Maio, Junho, ou noutro mês qualquer. Neste momento, e após 40 anos sobre o 25 de Abril de 1974, um dia qualquer é óptimo para uma Revolução.

[info: Público]

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Habemus campeone!


SL Benfica conquista o 33º título na época 2013/14. Por uns dias esquece-se a austeridade e a crise.

sábado, 12 de abril de 2014

sábado, 5 de abril de 2014

As imitações são sempre uma merda!...


"O Governo tenta continuar e desenvolver o espírito do 25 de Abril original."  - Pedro Lomba no i.

O que o Governo tenta fazer é uma coisa totalmente oposta. Ou então uma imitação, bastante rasca, daquelas que se encontram em lojas chinesas.

[info: i]

segunda-feira, 24 de março de 2014

Velha bafienta e oleosa


Esta senhora que pertence ao Banco de Portugal, que toda a vida se movimentou nas entranhas das instituições bancárias, que ganha milhares e que vive acima das suas possibilidades não sabendo o que quer dizer privação material severa, lançou mais uma brilhante ideia... Esta gente passa a vida a escavar para nos roubar! Este País tem sido um festim para estes lunáticos... Já ontem era tarde para correr com estas "larvas" que cheiram a bafio e a bolinhas de naftalina.

[info: Público]

sábado, 22 de março de 2014

A walk on the wild side...


Não, não é a música imortalizada por Lou Reed... É antes disso! É Nelson Algren com Vidas Perdidas, edição da Quetzal, e já saiu!

segunda-feira, 17 de março de 2014

Um regresso aguardado...


O Enredo Conjugal de Jeffrey Eugenides, autor de As Virgens Suicidas e Middlesex, através da Ed. Dom Quixote.

sexta-feira, 7 de março de 2014

De vómitos!


Este gajo tem um inglês tirado no Cais do Sodré. É tudo o que me apraz dizer sobre este discurso e o gajo.

[info: Público]

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

memento

"Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo."  Eça de Queirós

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Estão todos loucos!


Desde o líder, que afirma que "o País está melhor que há dois anos atrás" (e quem o contrariar lixa-se!) passando pela (histérica) cobertura mediática do congresso fazendo desta cambada de palhaços uns heróis nacionais, e da aparição de Marcelo "on the road", leia-se em campanha, até ao regresso do odiado Relvas para integrar o CN do partido. Se isto são os políticos...

[info: Público]

sábado, 15 de fevereiro de 2014

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

memento

"Já cheguei a um acordo perfeito com o mundo: em troca do seu barulho, dou-lhe o meu silêncio." Raduan Nassar

domingo, 9 de fevereiro de 2014

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Lapidar...


"Troika impôs medidas com "pistola à cabeça" dos países ajudados e sem controlo democrático" Liem Hoang Ngoc, eurodeputado francês


[info: Público]

domingo, 26 de janeiro de 2014

Justificação

Sobretudo por falta de tempo, a minha regular dedicação a este blogue será menor. Acontecerá esporadicamente, tentando escrever pelo menos uma vez por semana, e estando sujeito à minha disposição e imaginação. Obrigado a quem passa por cá.

o autor

sábado, 25 de janeiro de 2014

Só os amigos de Passos não têm riqueza ilusória

A crise em Portugal e a vinda da troika, apenas serviu para os ricos se tornarem mais ricos e os pobres ficarem ainda mais pobres.

[info: Público]

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

O solidário oportunista


Miguel, razoável escritor português, solidariza-se com um Nobel e com a poetisa sua mãe. No entanto, é sócio numa editora com uma rapariga que escreve uns livros assim... bastante... para o... não vocacionados para aquilo que se chama LITERATURA! O que diriam Faulkner, Vargas Llosa, Rushdie ou Franzen, por exemplo, deste combate entre Miguel e um grupo editorial extenso, onde, apesar de ter alguma razão, Miguel quer é promover o "eventual e futuro romance" que ainda anda a pesquisar.

[info: Público]

à sexta é com brinde!


Lindsay Lohan

Espelho meu, espelho meu...

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Revolução dos paus e pedras


Apesar da admiração e do respeito que nutro por Eduardo Lourenço, falar em "democracia" com estes tipos que nos governam é como bater numa parede de betão armado. Revolução "eufórica e democrática" seria um nome bonito para a nossa próxima revolução... Mas revolução das pauladas e pedradas adequa-se mais a esta gente.

[info: Público]

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Governo/PSD com a cotação em alta


Dia grande para os Laranjas: Da amnésia profunda de Marques Mendes (tão típica da escola cavaquista) em relação à venda ilegal de acções, passando para um ex-deputado e actual secretário de Estado da Segurança Social que no passado vestiu as vestes de um santo e denunciou um caso de corrupção, e que graças a essa denúncia conseguiu o milagre do licenciamento para um hospital privado, num esquema kafkiano, e terminando numa novela que só agora começou e promete rios de tinta, que é a escolha do candidato presidencial do PSD. Para já, o eterno putativo candidato, o prof. Marcelo está, ao que tudo indica, mais uma vez fora da corrida. Há os optimistas sem limites com desfasamento da realidade, como o eurodeputado Paulo Rangel, que diz que existem cinco ou seis candidatos muito bons na cantera... Abram os corredores para tanta fartura!

[info: Público] [mais info: Público] [mais info: Público]

memento

"Sempre que vejo um adulto de bicicleta, volto a confiar no futuro da raça humana."  Henry G. Wells

sábado, 18 de janeiro de 2014

Ary dos Santos (30 anos sobre a sua morte)


Poeta castrado não!

Serei tudo o que disserem
por inveja ou negação:
cabeçudo dromedário
fogueira de exibição
teorema corolário
poema de mão em mão
lãzudo publicitário
malabarista cabrão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!

Os que entendem como eu
as linhas com que me escrevo
reconhecem o que é meu
em tudo quanto lhes devo:
ternura como já disse
sempre que faço um poema;
saudade que se partisse
me alagaria de pena;
e também uma alegria
uma coragem serena
em renegar a poesia
quando ela nos envenena.

Os que entendem como eu
a força que tem um verso
reconhecem o que é seu
quando lhes mostro o reverso:

Da fome já não se fala
- é tão vulgar que nos cansa -
mas que dizer de uma bala
num esqueleto de criança?

Do frio não reza a história
- a morte é branda e letal -
mas que dizer da memória
de uma bomba de napalm?

E o resto que pode ser
o poema dia a dia?
- Um bisturi a crescer
nas coxas de uma judia;
um filho que vai nascer
parido por asfixia?!
- Ah não me venham dizer
que é fonética a poesia!

Serei tudo o que disserem
por temor ou negação:
Demagogo mau profeta
falso médico ladrão
prostituta proxeneta
espoleta televisão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Nem é carne nem é peixe


Eu sou contra a co-adopção por parte de casais homossexuais (só para reforçar aquilo que escrevi há uns tempos atrás). Mas como não vim aqui falar de mim... Mas pelo menos eu assumo a minha posição, ao contrário dos deputados do CDS que se abstiveram na proposta de referendo sobre a co-adopção de casais homossexuais. Devia ser proibido aos deputados optar pela abstenção, porque eles estão a ser pagos para votar leis, propostas, etc. Um deputado abster-se, é um bocado estar-se a cagar para o que está em votação, em causa. Abster-se é um acto arrogante, é demonstrar desprezo. Mas o CDS já nos habituou, não nos admiramos, claro. O CDS está sempre ali no meiinho, quando não convém não se compromete. Este CDS de Portas é muito bom nisso, é especialista - nem é carne nem é peixe. O CDS é mais marisco. A coligação tão apregoadamente unida pelos seus líderes, afinal é tão diferente nas matérias.

[info: Público]

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Case study


Caminhamos a todo gás para uma sociedade mais individualista e egoísta, e com mais desigualdade. Havemos de chegar a um sistema de castas. Este estudo é sintomático.

[info: Público]

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Nem com o Queiroz a votar no Messi


Foi bastante merecida a conquista do troféu Bola de Ouro por parte de Cristiano Ronaldo. Se não fosse este ano, seria um escândalo. Até porque o seu mais directo adversário (Messi) esteve metade do ano passado lesionado. Contudo, este facto não retira mérito nenhum a Ronaldo. Mas se eu fosse Cristiano, teria recusado o prémio, nem sequer aparecendo na cerimónia (por tudo o que passou). Está claro demais que a atribuição deste tipo de troféus é um jogo de interesses, com patrocinadores em demasia, cada um fazendo pressão e jogo sujo. Mas, se hipoteticamente a Bola de Ouro 2013 fosse para Messi, os organizadores (FIFA) perdiam credibilidade.   Arsène Wenger é que tem toda a razão: Este tipo de troféus faz mal a cabecinha dos jogadores. Ainda assim, muitos parabéns Cristiano Ronaldo! No meio desta máfia do futebol, se havia alguém digno e com legitimidade para receber o troféu eras tu!

[info: Público]

O demagogo irrevogável


Quem o ouvir falar não o leva preso, a este bem-falante demagogo (e hipócrita). No congresso centrista, Paulo Portas teve uma apoteose monumental que não coincide com o seu valor como político. É triste para um País termos políticos destes, é uma tristeza ser governados por gente deste calibre. Portas falou do presente e do futuro, fez promessas que sabe que não vai cumprir, pois o seu próprio futuro é uma incógnita. Sobre a saída da troika (que já todos sabem que acontecerá só depois do País passar por um 2º resgate, apesar de se falar muito de um programa cautelar) Portas não quis dizer nada. Por agora, fica bem na fotografia ao afirmar que a coligação é para manter para lá de 2015. Essa coligação que, pela primeira vez em quarenta anos de democracia, é certo que vai chegar ao fim do mandato. Não por mérito, apenas pela preciosa e decisiva ajuda da famosa mão por detrás do arbusto.

[info: Público]

memento

"Saudade é amar um passado que ainda não passou. É recusar o presente que nos magoa. É não ver o futuro que nos convida..."  Pablo Neruda

domingo, 12 de janeiro de 2014

A justa homenagem


Os onze Eusébios

Foi um bom jogo, com uma mística especial. O SL Benfica teve uma grande atitude perante o seu histórico rival e venceu bem, homenageando da melhor forma Eusébio. A homenagem que antecedeu a partida foi brutal e o ambiente estava espectacular. Rodrigo e Markovic estiveram endiabrados, Matic, Enzo, Gaítan encheram o campo e está encontrado, na minha óptica, o substituto de Artur Moraes na baliza do Benfica: Oblak, um jovem de apenas 21 anos mas já com uma grande maturidade futebolística, muito seguro. Os jogadores do Benfica tiveram pormenores deliciosos ao longo do jogo. Jorge Jesus voltou a reforçar a minha ideia de que é um treinador medroso: Apenas fez a primeira substituição aos 83 min. (tirou Garay lesionado) não soube retirar vantagem do facto do FC Porto ter apenas 10 jogadores a partir dos 74 min. Podia ter tirado o Lima, que passou completamente ao lado do jogo, deixando Markovic no apoio ao Rodrigo, e metendo o Sulejmani, que nem precisava de mexer no esquema táctico. O SL Benfica podia ter goleado os dragões. Quanto aos jogadores do FC Porto, penso que deviam tirar um curso para aprender a saber perder. Quanto ao árbitro, é sem dúvida um dos bons valores da arbitragem nacional, mas pelo facto de ser da cidade do Porto, não é aconselhável arbitrar clássicos. E já não é a primeira vez que o faz. A. Soares Dias teve algumas falhas, prejudicando o SL Benfica, a mais descarada foi aquelas mãos na bola do Mangala, quando o árbitro estava no enquadramento perfeito do lance.


[info: Público]

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Traidorzinho


O homenzinho tem mérito. Tem jogo de cintura movendo influências para alienar património nacional em nome dos altos interesses e das suas ambições pessoais, mesmo que isso implique ser um traidorzinho sem escrúpulos nenhuns. Excelente praticante da modalidade dos favorecimentos, foi uma escolha natural do Goldman Sachs, que recruta gentinha desta para manietar à vontade, em pontos estratégicos da Europa. É mais uma lança que este banco oportunista enterra neste País de destroços políticos ligados ao PSD, de gente que tem a espinha dorsal composta de detritos. Nojento.

[info: Público

No regresso aos mercados...


Um anuncia a recandidatura a primeiro-ministro auto-apelidando-se de "reformista" com muito mato por desbravar até 2020, enquanto o outro é promovido nos meios de comunicação social como potencial e "bom candidato" à presidência da República... Neste País (como ainda ontem escrevi) tudo pode acontecer. Portugal gera fenómenos inexplicáveis.

[info: Público]

à sexta é com brinde!


Paz de la Huerta

Despojo espojado...

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Trendies


Mein Kampf em e-book está a tornar-se um best-seller. - Público, 09/01/2014

Tendências. Cada vez mais preocupantes...

[info: Público]

Em nome do "pugresso"


Depois dos Quarteto e dos King, vem agora o emblemático Londres, e qualquer dia será o Nimas e deixam de existir cinemas de rua em Lisboa. Bom, pelo menos ainda não há ameaça do cinema também poder acabar, portanto a rapaziada concentra-se toda nas grandes superfícies comerciais para assistir a blockbuster´s, enquanto por Lisboa nascem lojas chinesas como cogumelos. Viva a Cultura!

[info: Público]

Neste País tudo pode acontecer

Portas, neste momento, está para a presidência da República como a Fanny da "casa dos degredos" está para a Playboy. Mas num País como Portugal, que gera fenómenos inacreditáveis, tudo pode acontecer. O que é preciso é ir avivando as memórias mais revogáveis em relação a certos actores da cena política.

[info: Público]

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Deixem o Eusébio ir para o Panteão!


Depois de lerem este post podem até chamar-me pindérico ou pimba, mas eu não percebo a perda de tempo à volta da questiúncula Se Eusébio deve ou não ir para o Panteão? e as mais diversas teorias que acompanham a dúvida. É simples: Eusébio foi um símbolo do País, elevou o nome de Portugal no Mundo (provavelmente mais até que outros que já moram no Panteão) portanto, Eusébio, tal como Eça, Camilo, Saramago, Egas Moniz, Aristides de Sousa Mendes e Vitorino Nemésio, para citar alguns (e para não falar de Camões e Pessoa que estão nos Jerónimos) deviam ir para o Panteão. Qualquer dia, estamos todos mortos e esta discussão foi mais um fait-diver, uma novela para nos ocupar um tempo e nos distrairmos daquilo que é verdadeiramente importante. Deixem o Eusébio em paz. Deixem o Eusébio ir para o Panteão! Melhor ainda seria no Museu Cosme Damião (uma sala tipo santuário com um altar com as suas cinzas em exposição). Mórbido?

[info: Público] [mais info: Público]

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

A Porcaria


Estou sujo
Roído de piolhos
Os porcos quando olham pra mim vomitam

As crostas e postulas da lepra
Escamaram-me a pele
Coberta de pus amarelo
Não conheço a água dos rios nem o orvalho das nuvens

Na minha nuca
Como num fumeiro
Cresce um enorme cogumelo
De pedufolos umbrolíferos
Sentado num trasto informe 
Não mexi os membros
Desde há 4 séculos

Os meus pés tomaram a raíz no solo
E compõem até ao ventre
Uma espécie de vivaz vegetação
Cheia de inóbeis parasitas
Que não deriva ainda da planta
Mas que já não é carne
No entanto, o meu coração bate

Mas como não poderia ele bater
Se a podridão e as izalações do meu cadáver
Não ouso dizer corpo
Não nutricem abundantemente

Estou sujo
Roído de piolhos
Os porcos quando olham pra mim vomitam

Na axila esquerda
Uma família de sapos fez morada
E quando um se mexe faz-me cócegas
Tomai cuidado, não vá fugir algum
E que vá roçar com a boca no interior da vossa orelha
Era capaz de depois vos entrar no cérebro

Na axila direita
Há um camaleão que lhes dá caça incessante
Para não morrer de fome
Todos têm de viver
Mas quando uma das partes
Frustra completamente as manhas da outra
Não encontram nada melhor para fazer
Do que não se incomodarem
E chupam a gordura delicada que me cobre as costas
Já estou habituado

Uma víbora malvada devorou-me o pénis
E tomou o seu lugar
Tomou meu...aquela infame
Oh se eu tivesse podido vender-me
Com os meus braços paralisados
Mas creio antes que eles se transformaram em cavacos
Seja como for, importa constatar
Que o sangue já lá não vai passear a sua vermelhidão

Dois pequenos ouriços
Que pararam de crescer
Deitaram um cão que não acusou o interior dos meus intestinos
É a epiderme cuidadosamente lavada
Meteram-se dentro dela
O anûs foi interceptado por um caranguejo
Animado pela minha inércia, guarda entrada com as suas pinças, e faz-me doer muito

Duas medusas atravessaram os mares
Imediatamente atraídas por uma esperança que não foi iludida
Olharam com atenção as duas partes carnudas
Que formam o traseiro humano
E colando-se ao seu condutor do convexo
Esmagaram ...tanto por uma pressão constante
E os dois pedaços de carne desapareceram
Ficando lá dois monstros saídos do reino da viscosidade
Iguais na cor, na forma, e na ferocidade

Não falei da minha coluna vertebral
Porque é uma espada
Sim, sim, estava distraído
A vossa pergunta tem toda a razão de ser
Desejais saber
"Não é verdade? como é que ela se encontra verticalmente implantada nos meus rins?"
Nem mesmo recordo muito claramente
No entanto, se me decidirem tomar por lembrança
Que talvez não passe de um sonho
Sabei que o Homem, 
Quando soube que eu tinha feito o voto
De viver com a doença e a imobilidade
Até vencer o Criador,
Veio por trás de mim, pela ponta dos pés
Mas não tão levemente que eu não ouvisse
Não percebi mais nada durante um instante que não foi longo
Aquele que tinha aliviado espetou-se até ao carro
Por entre as duas espádulas do torro de morte
E a sua....estremeceu como um tremor de terra
A lâmina adere fortemente ao corpo
Que ninguém até agora a conseguiu extrair
Os atletas, os mecânicos, os filósofos, os médicos
Tentaram cada um por si os meios mais diversos

Não sabiam que o mal feito pelo Homem
Não pode mais ser desfeito

(Les Chants de Maldoror)

Letra: Isidore Ducasse; Música: Mão Morta



Dedicada a este Governo.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Por falar em Benfiquistas e em Portugueses


(capas dos jornais Público, A Bola, i, e O Jogo, de hoje)

O herdeiro natural de Eusébio no Benfica é Rui Costa - não é preciso fazer um "desenho".
Se Eusébio merece ir para o Panteão Nacional? Esta é uma questão que nem se devia colocar... Não quero entrar em comparações, apenas digo que Eusébio da Silva Ferreira elevou o nome de Portugal no Mundo. Eusébio foi simplesmente um ícone português.

[info: Público]

memento

"A religião como fonte de consolação é um obstáculo à verdadeira fé; nesse sentido, o ateísmo é uma purificação."  Simone Weil

domingo, 5 de janeiro de 2014

sábado, 4 de janeiro de 2014

Desculpa lá Ronaldo!

Para Cristiano Ronaldo será sem dúvida uma grande honra receber a condecoração. Cristiano Ronaldo é um enorme exemplo como atleta e desportista, e não está em causa o seu mérito. Para Cavaco, atribuir tal condecoração, é sobretudo uma tentativa de desviar as atenções da porcaria que tem feito pelo País, é tentar granjear alguma simpatia e popularidade com o acto de condecorar o maior desportista português da actualidade. Mas Cavaco Silva apenas conseguiu gerar um aumento geral da repulsa que os portugueses sentem por si. Talvez hajam alguns que consigam sentir uma desprezível compaixão pelo presidente, mas é o máximo que lhe podem dedicar. Alguém aconselhou Cavaco a anunciar estrategicamente a condecoração de Ronaldo, logo após a mensagem de Ano Novo. Talvez servisse para digerir os efeitos da mesma. Logo o povo se esquecia, inebriado perante o eminente brilho da condecoração do galáctico. Mas não, o povo não esquece.

Publico um desabafo que encontrei na caixa de comentários da notícia da "condecoração" e que diz simplesmente tudo. Desculpa lá, Ronaldo. Eu sei que não mereces.

"Concordo plenamente com o Presidente da República em premiar Cristiano Ronaldo como símbolo do país. Mas não vejo nesta condecoração um elogio, vejo uma crítica inesperadamente feroz ao estado do país. Na verdade, Cristiano Ronaldo simboliza um sistema educativo frágil e um elevado índice de iliteracia, simboliza uma certa tendência portuguesa para o populismo e o culto da personalidade, simboliza os milhares de portugueses que tiveram de emigrar para serem reconhecidos ou bem sucedidos na vida, simboliza o novo-riquismo e o aumento obsceno da distância entre os muito ricos e os muito pobres, etc."   Bartleby - 03/01/2014, 13:49.

[info: Público]

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Malta do moribundo Compromisso Portugal a patrocinar jornal on line


A evolução por vezes é amarga. Tendência do presente que se agravará no futuro, os jornais on line vieram para acabar com as suas homólogas relíquias de papel, infelizmente. A mim dá-me imenso prazer folhear um jornal, gosto do cheiro do papel. Os jornais on line apenas possuem a vantagem de estarem em constante actualização, porque de resto... Bom, e em breve vai ser lançado com toda a pompa e circunstância o diário on line (com o pomposo e muito pouco original nome) Observador, liderado pelo ex-director do Público JMF e sustentado por investidores de peso como os oportunistas do agonizante movimento Compromisso Portugal... Estou expectante, já estou a carcomer as unhas de ansiedade.

[info: Público]